Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página
Histórico

Histórico da Brigada Aeromóvel

Publicado: Segunda, 05 de Outubro de 2015, 17h21 | Última atualização em Quarta, 02 de Maio de 2018, 17h00 | Acessos: 4485

     A 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) tem suas origens na 5ª Brigada Estratégica, criada pelo Decreto nº 7.054, de 06 de agosto de 1908, com sede inicial na cidade de Aquidauana, atual estado do Mato Grosso do Sul. Em 23 de fevereiro de 1915 foi transferida para Belo Horizonte, Minas Gerais, onde recebeu a denominação de 8ª Brigada de Infantaria, de acordo com o Decreto nº 11.498. O Decreto nº 13.652, de 18 junho de 1919, cria a 4ª Brigada de Infantaria, formada da 8ª Brigada de Infantaria. O Decreto nº 13.916, de 11 de dezembro de 1919, mantém a 8ª Brigada de Infantaria em Belo Horizonte-MG e estabelece o Quartel General da 4ª Brigada de Infantaria na cidade de Caçapava-SP.

     O momento histórico vivido pelo país nas primeiras décadas do século XX, repercutiram na vida da 4ª Brigada de Infantaria a ponto de implicar na transferência de sua da sede da cidade de Caçapava para Lorena e vice-versa, como também sua organização e mudança de denominação. Assim, em 25 novembro de 1930, como uma das conseqüências da revolução de 1930, que irrompera em outubro daquele ano, o Comando da 4ª Brigada de Infantaria foi declarado extinto provisoriamente, conforme o Aviso nº 821, de 12 novembro de 1930, tendo suas atividades encerradas no dia de 25 novembro do mesmo ano.

     Ao eclodir o movimento Constitucionalista de 1932, o Comando da 4ª Brigada de Infantaria, foi reativado pelo Aviso nº 565, de 10 de outubro de 1932, que restabeleceu integralmente, as disposições que regiam a organização territorial militar.    Em virtude da nova "Organização do Exército", detalhada pelo Decreto Lei nº 413, de 6 de maio de 1938, cria-se a Infantaria Divisionária/2, com sede em Caçapava-SP, pelo Decreto nº 556, de 12 de julho do mesmo ano. Em 4 de abril de 1944, através do Aviso nº 832, do Ministro da Guerra, o Quartel General da Infantaria Divisionária da 2ª Região Militar é transferido da cidade de Caçapava-SP para Lorena-SP.

     Conforme os termos do Decreto Lei nº 9.333, de 10 de junho de 1946, é extinta a Infantaria Divisionária/2, com sede em Lorena-SP, e transformada em Subcomando da 2ª Divisão de Infantaria em São Paulo - SP. O Decreto nº 31.665-A – Reservado, de 26 de outubro de 1952, extingue o Subcomando da 2ª Divisão de Infantaria da cidade de São Paulo, criando o Comando da Infantaria Divisionária/2, com sede em Caçapava-SP. Posteriormente, de acordo com o nº 5, item 3, Boletim Reservado Divisionário, nº 01, de 07 de fevereiro de 1972, da 2ª Divisão de Exército, é criada a 12ª Brigada de Infantaria.

     A 12ª Brigada de Infantaria, teve seu nome alterado pelo Decreto Presidencial nº 92.170, de 18 de dezembro de 1985, para 12ª Brigada de Infantaria Motorizada. Finalmente em 1995, pelo Decreto Presidencial publicado no DOU nº 114, de 16 de junho de 1995, a 12ª Brigada de Infantaria foi transformada na 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), mantendo sua sede na cidade de Caçapava-SP, onde encontra-se sediada desde 1919.

      A 12ª Brigada de Infantaria leve (Aeromóvel) tem na sua composição o 6º Batalhão de Infantaria Leve, o 20º Grupo de Artilharia de Campanha Leve e o 1º Esquadrão de Cavalaria Leve, organizações militares que fizeram parte da Força Expedicionária Brasileira na 2ª Guerra Mundial. Por essa razão, a Brigada Aeromóvel recebeu a denominação histórica de Brigada FORNOVO DI TAROpublicada na Portaria do Comandante do Exército nº 517, de 19 de maio de 2016.

 

          

 

Em seguida, no mesmo ano, a Brigada passou a ostentar o seu novo estandarte histórico, concedido pela Portaria do Comandante do Exército nº 1.041, de 22 de agosto de 2016.

     A Brigada FORNOVO DI TARO é subordinada ao Comando Militar do Sudeste e à 2ª Divisão de Exército, localizados na cidade de São Paulo, e vinculada para fins de planejamento, preparo e emprego ao Comando de Operações Terrestres (COTer), situado em Brasília. É uma das Forças de Emprego Estratégico (FEE) do Exército Brasileiro, o que a torna apta a atuar com rapidez em qualquer parte do território nacional, em cumprimento às atribuições constitucionais previstas no Art. 142 da Constituição Federal Brasileira.

 

Fim do conteúdo da página